Facilitando o Ambiente de Negócios para o Crescimento Económico
SPEED+

Lançada a iniciativa de desenvolvimento da lista vermelha de espécies ameaçadas e mapeamento das áreas-chave para biodiversidade no país

Conceber uma lista vermelha de espécies ameaçadas, identificar e mapear as áreas-chave para a Biodiversidade em Moçambique é o objectivo de um projecto que foi objecto de discussão recentemente em Maputo.

Este projecto é de interesse particular do MITADER, através da Direcção Nacional do Ambiente e será implementado pela WCS (Wildlife Conservation Society) com financiamento da USAID através do Projecto SPEED+, e constitui uma das acçoes essenciais para cumprimento das metas de AICHI definidas no âmbito da Convenção sobre Biodiversidade, que Moçambique é signatário.

A lista de espécies de fauna endémicas e quase endémicas ameaçadas contempla plantas, anfíbios, répteis, peixes de água doce e borboletas. Por sua vez, a lista de espécies marinhas vai incluir os tubarões e raias, sendo que o processo vai ser desenvolvido com base nos critérios da União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN).

A Lista de espécies ameaçadas é um indicador crítico da saúde da biodiversidade mundial. Ela fornece informações sobre alcance, tamanho da população, habitat e ecologia, uso e / ou comércio, ameaças e acções de conservação que ajudam a informar as decisões de conservação necessárias.

As Áreas-Chave da Biodiversidade (KBA, sigla em inglês) são “locais que contribuem para a persistência global da biodiversidade”, incluindo habitats vitais para espécies de plantas e animais ameaçadas em ecossistemas terrestres, de água doce e marinhos.

A identificação da KBA em Moçambique será baseada na Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas. O Projecto é de 15 meses, sendo que até meados de próximo ano espera-se que já sejam conhecida a lista de espécies ameaçadas bem como as áreas-chave para a biodiversidade no país.

Falando na ocasião, a representante da Direcção Nacional de Meio Ambiente, disse esperar como resultado que o trabalho a ser desenvolvido forneça informação relevante que ajude ao Governo na tomada decisão e submissão de relatórios aos Secretariados das Convenções Internacionais, bem como auxiliar no novo ordenamento territorial.

Por sua vez, o Director do Projecto, Hugo da Costa disse na ocasião tratar-se de uma actividade necessária para o país no geral e o sector privado, em particular, na medida em que a informação a ser disponibilizada vai ajudar aos empresários na identificação de áreas propícias e evitáveis para desenvolver actividades rentáveis como o ecoturismo, defendeu.

O processo de elaboração da lista vermelha de espécies ameaçadas e KBA decorre do Regulamento da Lei de Conservação da Biodiversidade e espera-se que o processo culmine com o diploma ministerial decretando a lista de espécies protegidas no país.

Participaram do business breakfast diferentes organizações ligadas a conservação da biodiversidade no país, sociedade civil e sector privado.

 José Chongo do PNUD, participante do evento, considerou importante o envolvimento das comunidades locais no trabalho a ser desenvolvido.

A Business Breakfast com esta temática, foi realizado no contexto da comemoração do Dia Internacional da Biodiversidade que é celebrado no dia 22 de Maio. A efeméride visa alertar a população para a necessidade e importância da conservação da diversidade biológica, a data foi proclamado pelas Nações Unidas a 22 de Maio porque foi nesta data (22 de Maio de 1992) que se adoptou o texto final da Convenção da Diversidade Biológica.